FBEI na SAM: construção de escolas antirracistas

22 de junho de 2020 às 11:30

Na tarde da última quinta-feira (18 de junho de junho de 2020), o Fórum Baiano de Educação Infantil (FBEI), integrante do Comitê Bahia da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, participou da organização e do webinário Educação contra a barbárie: Construindo escolas antirracistas – realizado pelo Sindicato dos/as Trabalhadores/as em Educação da Rede Pública Municipal de Lauro de Freitas (ASPROLF).

O webinário do ASPROLF Sindicato aconteceu no quarto dia da Semana de Ação Mundial e teve por tema central o diálogo com o mote da iniciativa da Campanha no ano de 2020 “Educação contra a Barbárie – por escolas democráticas e pela liberdade de ensinar“, em especial, com a mesa “Raça e Educação: construindo escolas antirracistas” – ocorrida no dia anterior.

Com vistas à justiça social, o Asprolf Sindicato por meio deste webinário e de outras ações defende que garantir o direito fundamental à educação é caminho robusto para fissurar o sistema e eliminar o racismo estrutural que gerencia relações na sociedade brasileira e se manifesta, dentre outras estratégias, através do mito da democracia racial.

Com debate sobre as formas como a estrutura racista se manifesta nas escolas, sobre a importância do currículo no enfrentamento ao racismo, sobre caminhos para a construção de políticas públicas afirmativas como garantia dos direitos dos atores e atrizes educacionais, dentre outras abordagens atinentes ao tema, o mediador da mesa Marcos Felipe Costa Marques (Diretor da Asprolf), dialogou com a representante do Comitê Bahia da Campanha como FBEI e presidenta do Fórum Municipal de Educação Infantil de Lauro de Freitas (FMEI-LF), Carla Santos Pinheiro e com a também professora da rede municipal de Educação e doutoranda da UNEB, Rosângela Accioly Lins Correia.

Os/as participantes do webinário Educação contra a barbárie: Construindo escolas antirracistas fizeram a transição das falas com a entrega virtual (estilo vídeos challenge) de um brinquedo e/ou objeto afirmativo a fim de ilustrar a importância do combate permanente ao racismo e incentivar a educação perene para as relações étnico-raciais.

Dentre as propostas do debate há, em especial quanto ao comprometimento do Estado para a implementação perene de práticas pedagógicas antirracistas no currículo escolar, como destaque: elaboração de um manifesto no confronto à barbárie que se consolida através do silenciamento dos corpos e das vozes da população negra dentro e fora dos espaços escolares e; provocação quanto ao levantamento do quesito cor/raça, sobretudo dos/as docentes da Educação Básica por o sistema municipal não ter tais dados estatísticos compilados – conforme informou Carla Pinheiro por ter realizado em 2019 pesquisa de campo sobre este objeto na Especialização CEGRESFE pelo Diadorim da UNEB.

Para assistir ao webinário Educação contra a barbárie: Construindo escolas antirracistas acesse os seguintes links: https://youtu.be/i-YKsqnZ47A  ou https://www.facebook.com/asprolfsind/videos/338550070466421/